Nota de pesar pelo falecimento de Virgínia Torres Schall

Nota de pesar pelo falecimento de Virgínia Torres Schall

Com muita tristeza, a diretoria da ABRAPEC comunica e lamenta o falecimento de Virgínia Torres Schall no último dia 29 de abril, em Belo Horizonte.

Virgínia era pesquisadora titular do Centro de Pesquisas René Rachou (FIOCRUZ, Belo Horizonte) onde foi idealizadora e líder do Grupo de Estudos Transdisciplinares em Educação em Saúde e Ambiente.

No Instituto Oswaldo Cruz (FIOCRUZ, Rio de Janeiro), onde também trabalhou, fundou o Laboratório de Educação em Ambiente e Saúde. Virgínia participou de forma destacada na equipe que concebeu e criou o Museu da Vida, a Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente e a Brinquedoteca Hortênsia de Hollanda (DIP/UFMG).

Em 1990 recebeu o Prêmio José Reis de Divulgação Científica (CNPq).

Era associada da ABRAPEC e muito contribuiu para a área do Ensino de Ciências, participando de inúmeras comissões da área 46 na CAPES. Foi coordenadora da linha temática Educação em Saúde no IX ENPEC, em 2013.

Virgínia tem grande e significativa produção intelectual, não só em textos acadêmicos, como em jogos e vídeos para a área da Educação em Ciências. Orientou estudantes do ensino básico ao pós-doutorado e, além da atividade científica, Virgínia era poetisa e integrante da Academia Feminina Mineira de Letras.

Quem teve o privilégio de conviver com Virgínia recordar-se-á para sempre de sua competência intelectual, criatividade, simpatia, delicadeza e entusiasmo contagiante que imprimia a todos seus gestos e ações.

Seu falecimento é uma perda insubstituível para a ciência brasileira, para a Educação em Ciências e para a Educação em Saúde.

(texto de Adriana Mohr)