CARTA ABERTA DA ABRAPEC SOBRE AS ELEIÇÕES DE 2018

EM DEFESA DA DEMOCRACIA E DOS DIREITOS HUMANOS

carta eleições 2018

“Não é possível refazer este país, democratizá-lo, humanizá-lo, torná-lo sério, com adolescentes brincando de matar gente, ofendendo a vida, destruindo o sonho, inviabilizando o amor. Se a educação sozinha não transformar a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda”.

Paulo Freire

 

A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS vem a público manifestar sua profunda preocupação com atual momento político brasileiro e reafirmar a resistência a qualquer forma de autoritarismo. Nossa instituição conta com mais de 2000 pesquisadores e professores associados e sempre lutou pela educação pública de qualidade, verbas para setores da educação, da ciência e tecnologia, se envolvendo na luta pela democracia e direitos humanos.

O quadro atual é extremamente grave. Estamos estarrecidos com a perda de direitos do cidadão brasileiro nesses dois últimos anos e o desmando que passa o país com a venda de nossas riquezas e a perda de investimentos em setores essenciais ao desenvolvimento de nossa nação, enfim uma crise inventada por uma elite gananciosa. Destaca-se a ameaça à Ciência, com a desvalorização ao investimento em pesquisa científica e tecnológica, aprofundando os cortes neste setor, com redução drástica para o financiamento de projetos que viabilizam a atividade científica em todo o país.

As propostas de redução ministerial, sugerindo a fusão entre os ministérios do meio ambiente e da agricultura, o desprezo dirigido ao meio ambiente, às populações indígenas, quilombolas e às comunidades tradicionais fazem parte de um plano de governo que não se coaduna com os direitos humanos nem permite enfrentar a imensa desigualdade que marca o cotidiano brasileiro. O lugar incerto que a pesquisa e a educação assumem nesta proposta joga o futuro de alunos, professores e pesquisadores para um lugar secundário e sem protagonismo. Ademais se sobressaem as declarações desrespeitosas ao trabalho árduo dos docentes deste país, incitando o cerceamento de sua atividade profissional em desqualificações absurdas sobre o seu trabalho junto aos seus alunos.

Mais atônitos estamos com o cenário eleitoral. Um candidato que representa tudo o que rejeitamos e lutamos contra há centenas de anos, promove com o seu discurso um aumento de intolerância e de violência nas diversas instâncias produzindo mais racismo, mais homofobia, mais feminicídio, estímulos ao genocídio, entre outras tantas injustiças sociais. Esse discurso obscurantista que faz apologia à tortura e aos torturadores, à ditadura militar, elogios ao nazismo está culminando em ações como violência e assassinatos.

Uma elite tecno-financeira, responsável pela dissimulação de mentiras, se vale de tecnologias digitais, convencendo pessoas a concordarem com seus interesses econômicos, os quais são para poucos privilegiados. Assim, a reação de alguns setores da população nos assusta enquanto educadores, pois negam a história, o conhecimento científico, a vida, acreditando em fakenews, inclusive usando a escola e os estudantes, com alegações falsas sobre a distribuição de materiais didáticos (kitgay) que simplesmente não existem. Nesse mesmo caminho, sentimos um abandono diante da ineficiência de instituições governamentais historicamente responsáveis por regular as eleições, frente aos escândalos recém-descobertos dessas fakenews.

Pelo amor e zelo pelas instituições públicas, pelo valor da escola e da universidade pública, pelo reconhecimento da importância estratégica da pesquisa científica e tecnológica para nosso país, respeito devido a todos os brasileiros, por tudo o que representa a educação e os valores mais caros à humanidade, entendemos que precisamos nos mobilizar, para que nas urnas, nossas opções reflitam um compromisso com a democracia.

 

DIRETORIA da ABRAPEC

21/10/2018